Aproveite a oportunidade para questionar nosso Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo

[ad#banner]

Nesta sexta-feira, a partir das 16h00min, Aldo Rebelo participará de uma entrevista, ao vivo, no UOL. Na oportunidade, espera-se que ele fale sobre a Copa, Olimpíadas e sua gestão à frente da pasta.

Não perca essa oportunidade para participar e questionar o nobre ministro. Por ex.: lei geral da copa; infra-estrutura; dinheiro público nas obras para a copa e olimpíadas; qual será o legado para o nosso país; e, muito mais.

Vamos lá Brasil!

Share

Copa-2014 e Olimpíadas-2016 podem valorizar em 70% os imóveis no Rio de Janeiro. Bom para os moradores?

[ad#banner]

Autor: Thiago Capodeferro

Crédito: Agência Goodae.com

 

O Brasil sediará, nos próximos anos, dois dos maiores eventos esportivos do mundo: a Copa do Mundo, em 2014, as Olimpíadas em 2016. Com isso o país corre contra o tempo para deixar toda a estrutura pronta, e vê vários setores da sua economia sendo movimentados.

Além dos impactos na economia, as duas competições mudarão também a vida e a rotina de muitas pessoas. Segundo uma pesquisa do IBOPE divulgada no último mês de junho de 2011, enquanto 25% dos brasileiros disseram ter interesse muito grande na Copa-2014, 27% disseram ter interesse, mas não muito, e 26% responderam que não têm interesse algum.

Mas talvez o que esses 53% que disseram não ter muito, ou nenhum interesse, não saibam, é que não terão como escapar dos efeitos dos dois eventos. Principalmente os moradores das cidades-sede e os que residem em bairros próximos a estádios ou complexos esportivos onde serão disputados jogos e modalidades olímpicas.

Suas vidas e rotinas serão alteradas, nem que sejam alguns pequenos detalhes como o tempo que levarão para chegar ao trabalho ou a dificuldade em vender um imóvel.

O impacto dos eventos já aparece em alguns segmentos, principalmente no imobiliário. Segundo os especialistas do setor, os imóveis na cidade devem sofrer valorização de até 70% nos bairros próximos aos estádios e locais onde serão disputadas as partidas da Copa e demais modalidades das Olimpíadas, como, por exemplo, os imóveis à venda em Santa Teresa, Rio de Janeiro.

A cidade maravilhosa será uma das sedes da Copa-2014, receberá inclusive a final, e a principal sede das Olimpíadas-2016. Essa valorização já pode ser vista especialmente nos arredores do Maracanã, do Centro Esportivo Miécimo da Silva e do Estádio João Havelange (Engenhão).

O otimismo dos especialistas tem como base os jogos Pan-Americanos, disputados na cidade em 2007. Na ocasião, o valor cobrado pelo metro quadrado no bairro do Méier, por exemplo, onde fica o estádio do Engenhão, subiu cerca de 40%, segundo informações oficiais da organização do evento na época.

Outra região do Rio que vê a valorização de seus imóveis é a Avenida Abelardo Bueno, na Barra. Lá estão localizados o Velódromo, o Parque Aquático Maria Lenk e a Arena HSBC, todos construídos para o Pan e que também serão utilizados nos Jogos Olímpicos.

Além disso, a avenida fica próxima ao Riocentro, que também receberá competições. As estatísticas mostram que nos últimos cinco anos o metro quadrado da região teve uma valorização de 70%. Hoje, o preço do metro quadrado na Barra beira os R$ 8 mil, e este número pode até aumentar com a proximidade dos eventos e a consequente maior procura.

E os outros bairros?

A valorização de imóveis não chega a ser um problema para bairros nobres como a Barra. Segundo uma pesquisa da revista Exame, realizada em 2011, se por um lado o preço do metro quadrado na região passa dos R$ 6 mil, como citado acima, a renda média da população que reside ali é de mais de R$ 10 mil.

Mas e bairros menos nobres? A população que reside neles conseguirá acompanhar esta valorização? Segundo a imprensa brasileira, o estádio do Maracanã, que receberá a final da Copa do Mundo em 2014, receberá um investimento de R$ 600 milhões para ser reformado. Isso mexe diretamente com bairros que estão próximos ao estádio, como Vila Isabel, Tijuca e São Cristóvão.

Se na Barra a população tem poder aquisitivo para acompanhar a valorização, o mesmo não acontece com alguns bairros como, por exemplo, São Cristóvão. Hoje, o metro quadrado na região custa cerca de R$ 2 mil, enquanto a renda familiar da população do bairro é de R$ 2,5 mil.

Se a projeção dos especialistas e investidores se confirmar, e os imóveis realmente valorizarem cerca de 70%, o metro quadrado em bairros como São Cristóvão e Santa Teresa vai saltar de R$ 2 mil para quase R$ 3,5 mil. Em se tratando do que estamos acostumados a ver no Brasil, o que muito provavelmente não vai aumentar é a renda familiar da população dos bairros, que continuará, respectivamente, na casa dos R$ 2,5 mil e R$ 3 mil.

O que isso significa? Que o perfil de moradores do bairro pode mudar. As pessoas procuram casas dentro da suas possibilidades financeiras através de imobiliárias ou buscadores como o Nestoria.com.br. O público que procuraria por imóveis em São Cristóvão deixará de fazê-lo, pois não conseguirá pagar. Quem mora no bairro e quiser vender seu imóvel também pode enfrentar dificuldades para encontrar um comprador.

Veja abaixo a proporção do preço do metro quadrado de alguns bairros e a renda familiar das famílias que residem nele:


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estrutura: herança bem vinda ou maldita?

Você não investe R$ 600 milhões apenas num estádio, mas também em toda a comunidade em torno dele. Pensando na Copa e nas Olimpíadas, toda uma estrutura será erguida, e esse quadro também ajuda a valorizar os imóveis. Por exemplo: será construída uma passarela ligando os bairros da Tijuca e São Cristóvão.

O trajeto que antes era feito em 20 a30 minutos, dependendo do horário, com esta obra será feito em torno de 10. Rodovias serão ampliadas e estacionamentos para carros e ônibus serão construídos, melhorando o trânsito de toda a região. São os dois eventos mexendo com a rotina da população, sem que eles se dêem conta, ao menos num primeiro momento.

Mas esse nem sempre é um ponto positivo. É preciso estudar se toda essa estrutura será aproveitada depois, ou se ficará jogada, sem ser aproveitada. Exemplos de grandes “elefantes-brancos” não nos faltam. O Stade de France, construído no subúrbio de Paris para a Copa-98 é um exemplo disso. Como todos os times da capital francesa já possuem estádio, após a Copa daquele ano, ele ficou abandonado.

No caso do Brasil esse problema existe em cidades-sede que não possuem times na elite do futebol nacional, como Cuiabá e Manaus. Já quando falamos de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, os estádios não correm esse risco. As duas cidades possuem vários times que disputam as duas principais divisões do campeonato brasileiro.

Nelas, os grandes candidatos a se tornarem elefantes-brancos são hotéis, lojas e afins que serão erguidos para a Copa e para as Olimpíadas. Falando apenas do Rio: a FIFA, dentre outras exigências, obriga que hotéis de alto padrão sejam construídos num raio de 5 a10 km de cada estádio que receberá jogos da Copa.

 

Todos esses empreendimentos, que em sua maioria serão erguidos as pressas, diga-se, serão aproveitados depois que os eventos acabarem e os turistas se forem? Um hotel desse porte, construído, por exemplo, num bairro como São Cristóvão, onde a renda da população não passa de R$ 3 mil, se sustentará? A região tem pontos turísticos e é de fácil acesso a ponto de atrair pessoas do mundo todo naturalmente?

São coisas que tem de ser estudadas. Caso contrário, serão R$ 600 milhões, sem contar os outros investimentos, mal aplicados, jogados no lixo.

O que pode acontecer é um fenômeno já visto em outras cidades que passaram por situações parecidas: os preços, tanto de imóveis como de hotéis, lojas e restaurantes subirem antes e durante a Copa e as Olimpíadas, e depois despencarem uma vez que a população local, passados os eventos, não tem poder aquisitivo para comprar imóveis de luxo ou freqüentar hotéis cinco estrelas.

A mesma pesquisa do Ibope que mediu o interesse dos brasileiros na Copa-2014 também concluiu que 73% deles acompanham as notícias sobre o evento através da televisão. Então é bom ficarem de olho no noticiário, para saber até que ponto os eventos afetarão suas vidas, e mais importante, se os investimentos estão sendo feitos da maneira correta.

Se não estiverem é bom lembrar que em 2014, além de Copa do Mundo, também tem eleições.

Share

Será que a casa vai cair, Ministro Orlando Silva?

[ad#blocodelinkshorizontalpequeno]

Ontem na Câmara dos Deputados, hoje no Senado e amanhã em algum lugar.  As explicações do Ministro dos esportes, Orlando Silva, sobre as denúncias publicadas pela revista Veja continuam.

Nesta tarde mais uma preocupação para o Ministro. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que pretende solicitar ao STF a abertura de inquérito policial para investigar a atuação de Orlando Silva em suposto desvio de dinheiro público do programa Segundo Tempo, destinado a incentivar a prática esportiva de crianças e adolescentes.

De quebra, a investigação pretende contemplar, também, o governador do Distrito Federal – Agnelo Queiroz.

Vamos acompanhar, com cautela e apreensivos, o final dessa novela!

Acompanhe, para reflexão, as palavras do jornalista Juca Kfouri no programa Linha de Passe (ESPN) desta segunda-feira.

Share

Será que mais uma cadeira vai cair? Orlando Silva, Ministro dos Esportes, diz que o teor da reportagem da revista “Veja” dessa semana é falso!

[ad#blocodelinkshorizontalpequeno]

Entrevistado pela ESPN Brasil, o Ministro dos Esportes (Orlando Silva) diz que tudo que foi publicado pela revista Veja desta semana é uma farsa.

A verdade é que em tempos de preparação para dois grandes eventos no Brasil (Copa do Mundo e Olimpíadas), ainda temos que conviver com essas questões. Realmente, uma vergonha para a nação se tais fatos forem comprovados. Aliás, as simples divulgações, acertadas ou equivocadas, já são suficientes para impactar toda a sociedade.

Segundo consta na reportagem da revista, embasada pelas denúncias perpetuadas por um policial que já foi ligado ao PC do B – João Dias Ferreira, o Ministro teria se apropriado de dinheiro público destinado à programas sociais.

Acompanhe a entrevista abaixo:

Share

Logomarca dos jogos olímpicos de 2016 foi apresentada na passagem do ano em copacabana

[ad#blocodelinkshorizontalpequeno]

É fato indiscutível que as olimpíadas de 2016 serão realizadas no Rio de Janeiro. Mas até o ano passado, o comitê organizador dos jogos não tinha apresentado ao grande público e à imprensa a logomarca que será utilizada no evento.

Nada melhor do que aproveitar o réveillon na praia de copacabana para lançar oficialmente a logomarca dos jogos olímpicos de 2016. E assim aconteceu. Uma cerimônia brindada com diversas apresentações de artistas, além da famosa e tradicional queima de fogos.

Veja o vídeo:

Share

Conheça o Luge

Em época de Olimpíadas de Inverno, este ano realizadas na cidade de Vancouver (Canadá), grande parte dos esportes praticados no gelo não são muito conhecidos pelos brasileiros. Afinal, vivemos em um país tropical, não?

De qualquer forma, a equipe do Blog da Copa esteve recentemente no Utah Olympic Park, na cidade de Park City, no Estado de Utah (EUA), onde foram realizadas as competições de Luge, Bobsled e Skeleton, nas Olimpíadas de Inverno de Salt Lake City (2002). E para tentar demover este conceito de que os brasileiros não conhecem os esportes praticados no gelo, você poderá verificar no vídeo abaixo um pouco do treinamento de Luge, realizado por 02 atletas norte-americanos.

Basicamente, os atletas se preparam e descem a pista de gelo para tentar cruzar a linha de chegada no menor tempo possível. Para tanto, as velocidades alcançadas são surpreendentes!

[ad#banner]

Share

Música tema das Olimpíadas de Inverno de Vancouver

[ad#blocodelinkshorizontalpequeno]

Depois de conhecer um pouco o palco onde serão realizadas as Olimpíadas e Paraolimpíadas de Inverno, nada mais justo do que escutar a música tema da festa. Trata-se da música “I Believe” (não confundam com o Barack Obama, ok?), interpretada pela artista Nikki Yanofsky.

[ad#banner]

Share

Vancouver 2010

Os Jogos Olímpicos de Inverno, este ano realizados em Vancouver (Canadá), prometem emoções fantásticas aos telespectadores e amantes de esportes de inverno espalhados pelo mundo inteiro. O sucesso da abertura dos Jogos, realizada no dia 12.02.2010, se estenderá até o dia 28 do mesmo mês de fevereiro. A partir daí, especificamente dos dias 12 à 21 de março, serão realizadas as Paraolimpíadas de Inverno.

Mas para aguçar o espírito olímpico de nosso leitor, sugerimos que assista o vídeo abaixo e veja o que Vancouver pode lhe oferecer.

[ad#banner]

Share